Tirania Sanguinária

Quando pensamos em ditadores cruéis, com uma personalidade à beira da loucura e comportamento desumano, logo nos vêm à mente os nomes de líderes tirânicos do século XX, como Hitler, Mussolini ou Stalin, entre outros. No entanto, o mal e a loucura não são patrimônio do século XX: todas as épocas e todos os lugares tiveram seus representantes e poderosos sanguinários, como demonstra a lista que preparamos para você.

Enriqueta Martí - A Vampira de Barcelona

Barcelona, Espanha - 1912. Três anos antes corria na cidade do boato de que crianças estariam sendo sequestradas e assassinadas. O episódio ficou conhecido como a "Semana Trágica", que estava deixando as pessoas, especialmente quem tinha filhos, apavoradas e com medo. No ano anterior, 1911, o então prefeito da cidade afirma que as especulações não passam de meros boatos e que não há com o que se preocupar.

Primeiro surto do Ebola ocorreu há 2400 anos

A primeira epidemia do vírus Ebola seria muito mais antiga do que pensamos. A doença foi descoberta pelo mundo ocidental moderno apenas na década de 70, mas o primeiro surto teria ocorrido ainda na Antiguidade, de acordo com pesquisa do professor de doenças infecciosas, Powel Kazanji. Segundo ele, a primeira manifestação brutal do vírus aconteceu em torno de 2.400 anos atrás, em Atenas.

Entenda o funcionamento do Cibercrime na DeepWeb

A Deep Web é um assunto em alta nos últimos anos. A rede “profunda”, formada pelo conteúdo não indexado pelos buscadores, também é famosa por todo o conteúdo obscuro jogado nela, como crimes sexuais, assassinos de aluguel oferecendo seus serviços, distribuição de drogas e, claro, o cibercrime. Foi esse o assunto tratado em painel na CIAB 2015.

Percy Fawcett - Em busca da cidade perdida

·   Em 29 de maio de 1925, numa clareira próxima ao Rio Xingu, o explorador inglês coronel P.H. Fawcett escreveu sua última carta à mulher: “Faz muito frio à noite e as manhãs são frescas; mas os insetos e o calor aparecem por volta do meio-dia e daí até seis da tarde é só sofrimento no acampamento (...) Você não deve temer nosso fracasso (...)”. O medo do fracasso, entretanto, não saía da cabeça do alquebrado missivista. Aos 58 anos, ele já não era aquele homem de vitalidade sobre-humana, cujos feitos fabulosos inspiraram o escritor Arthur Conan Doyle (1859-1930) a compor as imagens de uma terra esquecida, ainda habitada por dinossauros, que aparece no livro O mundo perdido, e que serviu de modelo para o inquieto arqueólogo Indiana Jones, vivido nas telas pelo ator Harrison Ford. Agora Fawcett estava esgotado e cheio de dúvidas, caminhando com dificuldade, ao lado de dois companheiros tão exauridos quanto ele, pelo território dos índios Kalapalos, que certamente observavam, ocultos na mata, o rumo incerto dos exploradores.