5 Monstros Que Assombraram a Humanidade

Todo mundo já ouviu falar de vampiros, lobisomens, bruxas e zumbis, mas de onde é que eles vêm? Eles com certeza não são apenas fruto da nossa imaginação. Será que são mesmo apenas lendas, ou há algo realmente à espreita no escuro? Você tem medo do bicho papão? Talvez você deveria. Se algum deles realmente vive entre nós, não podemos saber com certeza.

Possessão - Como Ocorre?

Com o passar dos séculos, a religião cumpriu um papel fundamental de guiar e direcionar a moral humana, ditando crenças, condutas e tradições. Cada religião ao redor do mundo tem seus próprios dogmas e conceitos de “paraíso”, mas uma coisa que comum à maioria das religiões é a batalha entre o bem e o mal.

Lúcifer Argentino - O Bebê Satânico

E não é que depois de ter feito um papa e terem sido vice-campeã da Copa do Mundo, a Argentina realmente quis “lacrar” com essa bagaça de humanidade toda, e abrigar o próprio “portador da luz”, segundo o nome de origem, claro.

Issei Sagawa - O Canibal Japonês


Ainda no Japão, estudante brilhante de Literatura Inglesa, Issei Sagawa, nascido em 26 de abril de 1949, ficou muito atraído por uma professora alemã. “Eu me perguntei se eu poderei comer esta mulher.”

Uma noite, Sagawa invadiu o apartamento dela. Planejava matá-la. Ela dormia, nua. Ele procurou por algo para golpeá-la. Achou uma sombrinha. Mas ela acordou antes que ele começasse a agir, e gritou. Ele se assustou e fugiu.

Mas naquela ocasião ele percebeu que seria fácil colocar seus planos em prática, bastava planejar melhor. A ideia continuou na cabeça. Mas, na verdade, não era uma fantasia nova. Issei Sagawa disse, depois, que pensava em canibalismo desde a infância, desde que teve um sonho em que ele e seu irmão estavam em um caldeirão, sendo preparados para serem comidos por alguém.

Após o incidente com a professora, Sagawa foi a um psiquiatra, que se preocupou bastante com a história. O pai de Sagawa, um homem rico, pensou que mandando-o estudar fora ele pudesse deixar de lado estas ideias. O que o pai de Sagawa não pesou em seus raciocínios é que o jovem não fantasiava com japonesas, mas apenas com as ocidentais.